26 de dezembro de 2016

Resenha - Circulo Secreto: A Prisioneira

Cuidado, pode ter alguns Spoilers!!! Mas leia mesmo assim!

Livro: "Circulo Secreto: A Prisioneira"
Autor: L. J. Smith
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501096272
Ano: 2012
Páginas: 240
Skoob: Livro
Estrelas: 5

Sinopse: “Cassie é chantageada por Faye para roubar o poderoso Cristal Skull, e, por acidente, as duas liberam uma força maligna, que Cassie acredita ser responsável por vários assassinatos que imitam os torturosos atos dos julgamentos das bruxas de Salem. Enquanto isso, o Círculo chega à um ponto crucial na história, no qual deve ser escolhida uma nova líder, e, com Faye ameaçando revelar os segredos mais profundos de Cassie, pode significar desastre para todos os envolvidos”.

***

Sobre a autora
Lisa Jane Smith, mais conhecida pela abreviação L. J. Smith, nasceu em 4 de setembro de 1965 é uma das escritora americanas mais famosas do mundo. Seus livros de combinam uma infinidade de gêneros, incluindo o horror, ficção científica, fantasia e romance. Sua série de livros mais famosa é The Vampire Diaries, que foi transformada em uma série televisiva pela The CW Television Network. Mas além disso a autora também possui outras series de livros, como Mundo das Sombras, Diários de Stefan e Circulo secreto.
Vale lembrar que a autora ficou em um longo hiato, de quase dez anos, antes de anunciar que voltaria a escrever, criando assim uma nova trilogia para a série The Vampire Diaries. O que veio depois, como eu acho que todos já sabem, foi que a autora perdeu os direitos sobre a série e uma ghost writter passou a escrever a história, que rendeu até então mais três volumes.

Sobre o livro
Nesse segundo volume, Cassie, recém iniciada no Clube, passa a ser chantageada por Faye – que descobriu toda a história entre Adam e ela – e como resultado disso, Cassie se vê numa corrida para encontrar o crânio de cristal de Black John. Só que além disso ela entra naquele conflito interno entre ceder e fazer o que Faye manda, ou ser fiel a Diana e não fazer nada, mas infelizmente, Faye tem a faca e o queijo na mão, e Cassie não vê outra escapatória.
Quando ela descobre o crânio e decide não levá-lo para Faye, é tarde demais, a garota a seguiu e não há mais nada a fazer... A não ser conter os danos. Juntas, elas evocam novamente os poderes do crânio mas algo horrível acontece, a massa sombria quase pega Faye e como da primeira vez, mais um pedaço da entidade está a solta pela cidade.
O circulo vai descobrir aos poucos que cada vez que o crânio é posto em ação, algo ruim acontece com alguém. Kori foi só o inicio.

Sobre o que esperar
Olha, valeu a pena continuar a série. Este segundo volume é muito, muito melhor que o primeiro. Achei que algo ruim aconteceria logo de cara, até porque, levando em conta, no fim do primeiro livro eles estavam usando o crânio e eu pensei “Ok, alguém vai ficar preso nesse negócio, por isso o nome do segundo volume”, mas não.
L. J. Smith sabe nos deixar putos da vida. Faye começa a chantagear Cassie, obrigando-a a fazer o que ela manda e tudo acaba se tornando uma grande avalanche. Quanto mais coisas Cassie faz para Faye mais coisas Faye tem para chantagear Cassie. E isso consome meio que metade do livro. Depois do desastre no quarto de Faye, ela até fica de boa, assustada, mas de boa, desistindo de chantagear Cassie, mas o pior está no final. Vale lembrar que a votação para nova líder do Coven estava quase chegando e que um voto pode ser crucial...
Mas o que mais me chamou a atenção nesse livro é que, como eu havia falado na resenha anterior, ressaltando que muitos pontos ficam soltos na história, as coisas começam a ganhar sentido. A história começa a ter bem mais "liga", digamos assim.  Nesse volume, começamos a descobrir, mesmo que lentamente, um pouco da história por trás da ilha e das famílias bruxas. Ainda teve bem pouca participação das famílias, mas as poucas que tivemos foram ótimas.
Como sempre, não tenho muito o que reclamar da escrita. A autora realmente sabe nos prender e fazer a história correr solta na nossa cabeça. Eu sei que li o livro em dois dias, de tão “viciado” que eu estava.  O estilo continua sendo aquele, sabe, bem série da Warner mesmo, a climatização, o enredo, acho que é isso que faz a serie ser tão viciante. Lógico, ainda me lembra um pouco o TVD, sei lá, o enredo em si me ´parece muito “bem vindos a Mystic Falls” sabe.
Uma das coisas que sempre me tiram do sério em séries de livro – e também de TV – é que uma coisinha mínima que a personagem faz, acaba virando uma avalanche gigante no final, por causo do que? Por causa da famigerada omissão. É o que acontece com a Cassie e essa pedrinha maldita que ela acha. Ta na cara que a pedra é maligna, que era do Black John, até sua avó, em determinada parte, diz isso, mas lá esta ela, segurando a pedra incessantemente. Se não me engano a pedra é uma hematita, pedra responsável pelo poder, pela força... Mesmo na hora em que tudo é ´posto na mesa, lá está Cassie omitindo alguma coisa.
Normalmente eu me simpatizo muito com os vilões, eu curto um pouco essa coisa “foda-se a porra toda” sabe, mas essa Faye, meu deus, que vontade de nascer mulher e dar um soco na cara dessa menina. Eu não sei como o coven TODO ainda interage com ela. A garota é infernal. Insuportável. Mentirosa e todos os vários “adjetivos negativos” que vocês possam dizer. Eu não agüento!
A série ganhou meu coração sim, tanto a ponto de eu já começar a fazer minhas continhas aqui e ver se eu consigo comprar os outros dois volumes que faltam. Nem vejo a hora de ver a Cassie comandando esse coven. Muito Suprema SIM!
51/55

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o login usando sua conta do Twitter, Facebook ou Blogger e comente ;)