8 de julho de 2013

Resenha - "A Elite"

Cuidado, contém GRANDES SPOILERS!!!

Nome: A Elite
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano: 2013
ISBN: 9788565765121
Skoob: Livro

Sinopse: "A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Quando ela está com Maxon, é arrebatada por esse novo romance de tirar o fôlego, e não consegue se imaginar com mais ninguém. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto, dominada pelas memórias da vida que eles planejavam ter juntos.
America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer — e ela está prestes a perder sua chance de escolher. E justo quando America tem certeza de que fez sua escolha, uma perda devastadora faz com que suas dúvidas retornem. E enquanto ela está se esforçando para decidir seu futuro, rebeldes violentos, determinados a derrubar a monarquia, estão se fortalecendo — e seus planos podem destruir as chances de qualquer final feliz."

* Antes de qualquer coisa, ou de qualquer comentário sobre esse livro que muito me deixou sem ar, peço desculpas por alguns erros na resenha sobre o livro “A Seleção”, ao longo dessa, organizarei todos eles ok!

Antes eram 35 garotas, lutando por algo que ainda não sabiam se realmente queriam. A Coroa ou o Príncipe? Ou ambos?
Agora temos apenas 6. 6 garotas que sabem o que realmente querem, quem são e por que estão ali, talvez todas saibam. Mais Meri ainda é uma incógnita. Desde que Aspen chegou ao palácio, ela não sabe ao certo o que fazer. Quem escolher. O soldado, ou o príncipe. Mais talvez o que mais a deixe preocupada seja a possibilidade de ela não conseguir exercer seu papel de princesa. Em meio á varias trabalhos, ataques rebeldes – que creio eu que quase foi solucionado o enigma do porque dos ataques – desentendimentos, e até mesmo um possível, e óbvio não contentamento do Rei com a sua presença na Seleção, Meri terá que decidir. O antigo e ainda vivo amor de Aspen, ou a possível coroação como princesa e esposa de Maxon. O que você escolheria? O que faria se descobrisse que as ideologias de seu país não são realmente verdadeiras e puras?

"Nunca tinha imaginado que isso era possivel. Como eu, America Singer - uma Cinco, uma ninguém - fui me apaixonar por Maxon Schreave, um casta Um, "o" Um?"

Na verdade a história toda se passa após a 4ª guerra mundial, que aconteceu quando EAC, México e Canadá se uniram para resistir á China e ás tentativas da Rússia de roubar a mão de obra do país, daí nasceu Illéa e suas regras estranhas, uma “necessidade” era o que diziam na época. Mais América é uma Cinco, não uma jumenta, e acabou descobrindo a verdadeira sujeira por baixo dessa nação monarca!
Vi uma resenha de uma garota no Skoob, onde ela diz que o livro seria mais interessante se acontecesse no passado, pois, realmente, fica meio difícil acreditar que daqui á anos, logo após a 4ª Guerra Mundial, o mundo se veja sem internet, celular, ou qualquer forma de tecnologia. É difícil acreditar que daqui á o que? Uns 250 anos, o mundo volte a Monarquia total. Mais isso não tira os creditos do livro, gostei muito da forma que Kiera organizou tudo. Talvez essa seja uma distopia, não? Talvez? Sei lá!
Fiquei meio, sei lá, chateado com essa indecisão de Meri. Primeiro ela se decide por Maxon, daí acontece tudo o que acontece com Marlee – deixo claro aqui minha repulsa pelas leis de Illéa - e ela ganha uma, digamos, ‘repulsa’ dele, e volta seus pensamentos para Aspen, e isso sucessivamente sem fim até o fim do livro. Ok, não digo que seja fácil escolher entre um ou outro – No Inside, isso também acontece, quem sou eu pra julgar!
O Príncipe ou o marombeiro? Ó dúvida cruel!
E finalmente os motivos de Marlee foram descobertos. Assim como Meri e sua paixão por Aspen, Marlee estava apaixonada pelo soldado Woodwork. Quando Meri esbarrou com ele no corredor eu realmente achei que ele era um Rebelde infiltrado, ou algo assim, mais, deus, nunca imaginei que ele e Marlee estavam se pegando. Por isso ela não queria sair da Elite, por isso ela não amava Maxon, era tudo por causa dele. E quase rasguei o livro – mentira, só força de expressão – quando Meri não conseguiu parar o mascarado que os açoitava. Meu, podia ter sido a Meri ali.Imagina?!

Mais essa talvez seja apenas o inicio de muitas voltas. Esteja preparado para uma Meri mais indecisa. Qualquer coisa faz ela ficar pendendo pra um, ou para outro. Também senti ela muito distante das criadas, não sei, senti uma coisa estranha vindo dela nesse segundo livro. No primeiro era só paixão entre as quatro, e agora, Meri meio que as deixa de lado, sem maltratar nem nada, mais senti esse vazio. Mais no fim, ela muda de novo, eu então tudo volta a ser como na “A Seleção”. Meri acaba ficando no palácio, depois de uma ajudinha de Maxon, omitindo fatos, e novamente sua cumplicidade com as criadas aparece. – ansioso para saber o plano diabólico das criadas para fazer Meri ganhar a bragazza no 3º livro
Preparem-se também para um carrasco, não um rei. Logo no meio do livro você vê que esse reizinho de Merlin, esnoba o máximo que pode America. Deixa de falar com ela, fala mal dela, mesmo sem citar nomes, numa revista, está sempre de cara fechada e pasmem... SPOILER... Ele açoitava Maxon sempre que ele fazia algo que não o agradava, ou sabia de algo que não devia saberou dizia algo que não podia. Sinceramente, eu achei que Meri ia cuspir na cara dele no final do ultimo capitulo, mais acho que sei o que ela vai fazer no terceiro. E vão por mim, sapatear na cara dele usando um vestido muito foda está, sim, na lista!

O que mais me deixou a desejar foi a parte que Meri põe o barraco real de pernas pro ar, falando em rede nacional – para o delírio das castas inferiores – sobre o fim das castas. Eu realmente queria que ela deixasse Maxon de lado. Cara idiota. Acho que nada no mundo justificava ele ter se atracado com a Celeste. Além de se tornar um belo cafajeste, ainda estava de certa forma, brincando com o sentimento de Kriss e de America, que estavam realmente apaixonadas por ele. Esperava que ela realmente acabasse logo com essa patifaria. Aspen era um Dois - eu acabei me confundindo com tantos números de castas, mais na verdade Aspen agora era um Dois. E ainda assim era uma casta mais alta do que a de Meri, que ainda era uma Três. E ele não tinha apenas 3 irmãos, e sim 6... Deus -, ela era uma Três. Eles se casam e ela vira uma Dois. Pronto. La Fim. Finale. Happy Ending.... SQN!
Ai vem mais um ataque sulista, ela se vê num abrigo para empregados com Maxon ajudando a cuidar das feridas de mais um açoite, depois dele ter discutido com seu pai/rei/carrasco/palhaço sobre a permanência de Meri após tudo o que ela fez e disse ao vivo. Então a culpa ganha espaço e ela fica confusa de novo.
Sinceramente, achei Maxon muito cafajeste do meio ao fim do livro. Tipo, uma ou outra boa ação, não quer dizer que ele pode agir como um total babaca.

“- Não era esse o rumo que eu tinha desejado para essa conversa. Talvez eu devesse sair – ele disse. [...]
- Acho que sim – falei bem baixo;
- Ótimo. [...] Vou ver o que Kriss está fazendo.”

Ok, no final ele ganhou alguns pontos comigo e tals, mas mesmo assim, certas atitudes dele não tinham necessidade de acontecer, ele realmente agiu como uma criança – o que não tira seu mérito com Marlee, ou com todas as outras coisas boas que ele fez.
Mais uma ou outra coisa boa não justifica um milhão de erros idiotas!

Tive meio dificuldade de começar a ler ele, mais eu digo e ninguém até agora acreditou, eu li ele em 2 dias!!! É hipnotizante. Kiera escreve deliciosamente bem, você fica com água na boca por mais e não consegue parar! Super indico sempre.

OBS.: Não deixem de ver os agradecimentos no final, é super legal! E outra, eu tentei diminuir o tamanho da resenha, mais é maior que eu, não dá pra deixar certas coisas de lado. Espero que curtam mesmo assim!

6 comentários:

  1. Nossa que pena que contém grandes spoilers nem pude ler a resenha :(

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel,

      Ainda bem que você não leu. Aqui está o livro inteiro. Senti até a raiva do leitor na resenha! hahaha!

      Excluir
  2. R.S.,

    Realmente muitas coisas aconteceram e muitas delas irritantes mesmo. Mas, como você falou, apesar de tudo, Kiera é mágica! É uma das melhores distopias de conto de fadas que eu já li!

    E estou ansiosa pelo the One! Yuuuuuuupi!

    Beijos

    Gláucia - booklover.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, realmente esse livro tem vários momentos irritantes! America me tirou do sério várias vezes ...

    Espero que em The One ela seja mais racional, porque né...

    Beijoos; Giih
    cafe-com-livro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. olha !! acho que funçao neste livro foi esta mesma...deixar os leitores ...com algum sentimento ...kkkk diga o que quiseremm... esta serie mexe demais com quem ler ... nem acredito que so vou ler o ultimo so no proximo ano..afff

    ResponderExcluir
  5. Achei muito legal a resenha, principalmente pra mim, que já li faz um ano mais menos. Comprei agora a Escolha e me ajudou muuuito a relembrar e continuar o terceiro livro, sem necessitar, ler tudo novamente.

    ResponderExcluir

Faça o login usando sua conta do Twitter, Facebook ou Blogger e comente ;)